Mineiro de Jaboticatubas, Rui de Paula é um artista eclético. Com traços firmes e pinceladas soltas, mostra toda sua criatividade em telas de paisagens rurais, naturezas mortas, cenas de gênero, entre outros motivos.

Um impressionismo de grande sensibilidade, com efeitos de luz e combinações fascinantes de tons. O artista teve seu trabalho selecionado para ilustrar a capa do livro "Fazendas e Sabores" do programa Terra de Minas da Rede Globo em 2010, sendo destaque do mesmo.

Seu trabalho decorou o cenário da primeira entrevista da presidente eleita Dilma Rousseff, na televisão, no dia 01 de novembro de 2010. Possui obras em importantes coleções particulares, acervos públicos e orgãos nacionais e internacionais, livros e dicionários de arte em todo o Brasil.


Encomendas

Ao longo destes anos, Rui tem trazido muitas alegrias e emoções às pessoas, que o procuram para pintar um quadro que não se encontra em Galerias de Arte, como: lebranças da infância, casa dos avós, fazendas, pessoas queridas, animais de estimação, etc.
Para saber mais, entre em contato.

Encomendas

Galeria

“Rui de Paula estuda as graduações luminosas com grande maestria. A claridade brasileira se incorpora de maneira natural e absoluta nas telas desse artista, fazendo de seu trabalho um marco na pintura de Minas Gerais.”
— Yara Tupinambá, Artista Plástica

Ir para galeria

Galeria

Sobre

Rui de Paula

A pintura, mais do que outras formas de expressão artística, encanta pela capacidade do artista em retratar, tão fielmente, a vida. Para uns, são necessários anos de estudos, para outros, bastam a inspiração e o desejo de reproduzir as coisas do cotidiano. Rui de Paula é desses pintores que encantam o mundo. Ainda na adolescência, precisou de orientações sobre a técnica de pintar, mas foi mesmo na prática que ele se tornou um dos grandes nomes da pintura mineira. Modesto, não deixa de citar o nome do seu primeiro e único professor, Mauro Ferreira. Mas foi observando, lendo livros, visitando exposições e museus que ele se transformou num artista respeitado. Segundo Yara Tupynambá, Rui de Paula estuda as graduações luminosas com grande maestria. “A claridade brasileira, que caracteriza tanto o nosso país, se incorpora de maneira natural e absoluta nas telas desse artista, fazendo de seu trabalho um marco na cultura de Minas Gerais”, declara.

Mineiro de Jaboticatubas, ele leva às suas telas o Brasil rural, já tão esquecido, mas que desperta um saudosismo acalentador aos olhos de quem o vê. A luz, tão elogiada por Yara Tupinambá, impressiona, e de repente nos perguntamos: “Como pode ser tão real, parece mesmo que simplesmente há luz nesta imagem? Isto é arte, é pintura!”.

Nos versos do artista plástico, filósofo, historiador e poeta, Miguel Gontijo, “... para falar dele tenho também que falar em tintas mescladas e harmoniosas que interligam, amalgama, fundem, pincelam com vigor e segurança como convém a um Mestre, para nos dar a sensação de estarmos assistindo a um espetáculo íntimo e familiar. Controla as assonâncias dos vermelhos e azuis e imprime o quadro com os pretos todos diferentes, de grande riqueza cromática, consequência de uma técnica apurada, que possibilita o paradoxo de o preto ser colorido e variado...”. Só mesmo um artista para descrever tão belamente o trabalho do outro.

Mais uma prova do indiscutível talento de Rui de Paula é o fato de ele conseguir, como poucos, viver somente da própria arte. Deixou o serviço burocrático de banco em 1989, e de lá para cá, dedica-se somente aos seus quadros. Fã do impressionismo, trabalha diariamente para chegar à perfeição desse estilo. Em suas palavras: “Estarei realizado quando toda minha pintura for impressionista”. Para nós, simples mortais, a perfeição está lá, em cada quadro, em cada tom, em cada feixe de luz que brota das telas e ilumina nossos olhos. Sua obra transcende os espaços geográficos. Já expôs em diversas cidades brasileiras e em países como os Estados Unidos, Iraque e Portugal.

Exposições nacionais

  • I Semana Mineira de Artes de Campinas – SP, 1988
  • I Mostra de Arte Semana de São Cristóvão – RJ, 1989
  • Arte Mineira em Santa Bárbara D’Oeste – SP, 1989
  • Galeria Goyart – RJ
  • Automóvel Clube de Jaboticatubas – MG, 1989
  • Caixa Econômica Federal – Vitória, ES, 1990
  • El’Greco – São Luiz, MA, 1991
  • Grande Hotel de Araxá – MG, 1993
  • Sociarte – SP, 1994
  • Sociarte Monte Líbano – SP, 1994
  • Magia das Gerais – Banespa, SP, 1996
  • Esporte Clube Banespa – SP, 1997
  • Casa da Cultura de Sete Lagoas – MG,1998
  • Galeria Rembrandt – Belo Horizonte, MG, 1999
  • Época Galeria de Arte – Goiânia, GO, 1999

 

  • Sette & Zucheratto – Belo Horizonte, MG, 2001
  • Clube dos Oficiais de Minas Gerais, 2002
  • Bahiarte Galeria de Arte – Londrina, Paraná, 2003
  • Ide Freitas Gal. De Arte – Jundiaí, SP, 2003
  • Agnus Dei Galeria de Arte – Belo Horizonte, MG, 2003
  • Época Galeria de Arte – Goiânia, GO, 2004
  • Agnus Dei Gal. De Arte – Hotel Mercure, Belo Horizonte, MG, 2004
  • Grandes Acadêmicos no Brasil – Errol Flynn Galeria de arte, Belo Horizonte, MG, 2005
  • Belo Horizonte, Capital das Artes Plásticas – Tribunal de Contas de Minas Gerais, BH, MG, 2006
  • Galeria Paiva Frade – São Lourenço, MG, 2009
  • Coliseu Gal. De Arte – Tiradentes, MG, 2010

Exposições internacionais

  • Grimm Galeria de Arte – Kadar, Iraque, 1988
  • Colombo Arte Gallerie, Place Du Sablon – Bruxelas, Bélgica, 1994
  • Cache Bank & Trust Fort Collins, Sponsored by Lloyd’s art Center & Gallery – Colorado, EUA, 2002
  • Lloyd’s Art Center, Fort Collins – Colorado, EUA, 2002

 

  • Martha Ellen Gallery, Windsor – Colorado, EUA, 2003
  • Lloyd’s Art Center, Fort rCollins – Colorado, EUA, 2004
  • Óscar, Galeria de arte – Lisboa, Portugal, 2008

...para falar dele tenho também que falar em tintas mescladas e harmoniosas que interligam, amálgama, fundem, pincelam com vigor e segurança como convém a um Mestre, para nos dar a sensação de estarmos assistindo a um espetáculo íntimo e familiar. Controla as assonâncias dos vermelhos e azuis e imprime o quadro com os pretos todos diferentes, de grande riqueza cromática, consequência de uma técnica apurada, que possibilita o paradoxo de o preto ser colorido e variado... — Miguel Gontijo, artista plástico, filósofo, historiador e poeta

Encomendas

O trabalho de Rui de Paula é também reconhecido pelas encomendas. Ao longo dos anos ele tem trazido muitas alegrias e emoções às pessoas, que o procuram para pintar um quadro que não se encontra em Galerias de Arte, são temas como:

  • Paisagens do tempo da infância;
  • Casa dos avós;
  • Fazendas;
  • Pessoas queridas;
  • Animais de estimação; etc.

Para saber mais, entre em contato.


A claridade brasileira, que caracteriza tanto o nosso país, se incorpora de maneira natural e absoluta nas telas desse artista, fazendo de seu trabalho um marco na cultura de Minas Gerais. — Yara Tupinambá, Artista Plástica

Contato

Entre em contato